domingo, 10 de novembro de 2013

Último desejo







Deixa. Deixa ver no que é que dá
Deixa ver onde vai estar
Deixa querer mais uma vez
Deixa sentir mais um pouco
Eu não quero forçar nada
Eu não quero dizer mais nada
Eu não quero sentir mais nada
Eu não quero levar adiante
E se eu me machucar?
E se eu me arrepender?
E se eu me esquecer?
De tanto me lembrar de você?
Quero que se encante pelo o que sou
Quero meu valor reconhecido
Quero meus pés onde estou
Quero um sentimento enriquecido
De amor
De calor
De felicidade
De carinho
De saudade por estar longe
De saudade por não ter ouvido a voz durante o dia
De saudade por não sentir o cheiro
De saudade por não ter abraçado
De saudade por não ter falado
O que sentia
O que queria
O que havia
O que devia ser não foi
Já foi
E me dói
E me afasta de você
E me devasta por dentro
Como fogo em pasto seco
Como lava de vulcão aceso
Eu me sinto com esse peso
Vontade gritante de falar
Vontade angustiante de amar
Vontade amarga de provar
Esse é meu jeito e não posso mudar
Esse é meu amor e não tenho como te dar
Esse é o meu fim e não posso acabar
Sem antes te beijar.

Milena M.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Registros







Sem querer que as horas se atrevam a passar ao estar ao teu lado, eu me ponho a dizer que, como sempre, amanhã serão apenas lembranças. Lembranças de momentos que nunca mais serão os mesmos, ainda que seja constante a tua presença na minha vida por um longo e perfeito período. Registrar na minha memória o primeiro olhar, o primeiro toque, o primeiro sorriso ansioso e tremendo de vontade de beijar. São fatos que transpiram pela pele, que acelera o músculo involuntário preso nas paredes do peito.
Meu coração, ah meu coração. Cansado ele não está mais, não agora que se vê revivendo a cada instante, que se encontra voando, percorrendo a alma, se antes meu sorriso não haverá de ser travado, agora ele está transbordando por onde passo.
Tua pureza, tua calma, tua vontade de viver, a paz que você e transmite é inigualável. E quando vem se deitando a noite pelo céu ainda dourado pelos raios do sol, eu sei que é chegada à hora de me acolher em teus braços macios. Braços que manda embora toda dúvida, que afugentam todas as preocupações da rotina, que faz renascer um novo ser dentro do meu eu.
Realmente a gente nunca imagina que coisas tão boas irão acontecer com a gente, muito menos com pessoas tão inesperadas. Mas a vida sempre nos revela coisas belas a ponto de você se espantar com tamanha felicidade, e antes que você alucine por não acreditar em tanta abundância de sensações, alguém pega na sua mão e tira os pés do chão enquanto te leva pra o espaço cheio de pontinhos de luz, e em suas mentes prevalecerá somente um desejo: Eternizar aquele momento.

 
Milena M.

 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Renovando




Quero o canto das aves passeando pelo céu ensolarado. Quero as gotas da chuva ladrilhando pelo meu corpo, a beleza das flores, a ingenuidade dos olhos de uma criança, quero um par de asas, quero me alimentar de mel e mergulhar na cachoeira de águas límpidas e deixar que reflita em seu espelho d’água as molduras da minh’alma.
Não sou de deixar meus pés se consumirem na ferrugem do comodismo. Sou do vento, sou do tempo, que me carrega na carruagem dos sonhos, sou da luz que brilha dentro de mim, mesmo nas noites mais escuras, cantarei as minhas alegrias, cantarei minhas tristezas. Não existe vida sem derrotas, como também não existe vida sem vitórias. Mesmo que essa vitória seja “apenas” acordar vivo todos os dias, e quando a noite tiver um cobertor te esperando pra passar o frio e a vontade de não dormir só pra ficar pensando no que será da tua vida daqui alguns dias ou anos.
O fato é que não devemos pensar tanto no que será, como vai ser, quando vai ser. Eu não sei, você não sabe, ninguém sabe. Mas já que temos memória suficiente para armazenar coisas boas, pensamos então no que devemos ser para que as coisas se concretizem da maneira mais esperada possível.
Então eu abro meus braços e sinto os raios do sol me invadindo e aquecendo meu corpo enquanto bagunçam meus cabelos e me levam pelas estradas da vida, trilhas afora. E já começaram a cair as primeiras folhas da primavera, é tempo de mudança, é tempo de escolher um novo rumo, mesmo que você tenha que seguir sozinho, usando sua consciência como bússola, você só precisa mesmo é acreditar que nada vai te separar da sua fé, que as suas raízes são profundas e inatingíveis.
Sejamos então como o bom lenhador. Que ao cortar as árvores já crescidas e robustas, plantam novos galhos para que possam se renovar. Assim é a nossa vida. Às vezes precisamos cortar coisas negativas, desfazer falsas “amizades”, jogar fora as antigas faturas de cartão de crédito, excluir pastas de fotos repetidas, aquelas que você fez várias cópias com medo de perdê-las, mas que, no entanto, acabou perdendo a própria pessoa, que no final de tudo você acabou entendendo que a melhor coisa foi perder.
Mas o novo chegou, uma nova música tocou, e você outra vez se entregou. Entregou-se a dança, a liberdade, a vida. Vem, vamos andar de bicicleta, sentir a brisa gelada no rosto. Vem que eu te empurro no balanço e te faço ser criança outra vez, e te faço sorrir mais uma vez. Quero ser o teu repouso, escutar teu silêncio e compará-lo a uma canção que o eco soa em meus pensamentos, e mesmo que nada disso dure para sempre, já me encarreguei de datilografar os momentos mais marcantes, os sussurros mais marcantes, os beijos mais lentos, os abraços de acalento.
Eu sei, eu guardei, eu estarei sempre a orar por você, e sempre que eu tiver a chance de reviver, de recomeçar, eu me renovarei e deixarei cada porção de saudade por onde passar, cada memória de felicidade em quem se lembrar que em toda a minha vida, sempre fui eu mesma.

Milena M.

sábado, 19 de outubro de 2013

Encantada







Estou me encantando. Passando por uma metamorfose de amor, um novo ciclo de sentimentos se inicia, e eu me encontro como se fosse uma lagarta em processo de plena transformação para que se torne uma linda borboleta de asas prateadas.
Você é um romance, um conto romântico e singelo. Aprendi que te quero, e sei como quero, e quero te encontrar, te tocar e te fazer sentir estremecer por dentro, eu quero te aliviar a dor, eu quero te matar de amor. Quero ser tua loucura, tua vontade de viver, quero ser teu prazer infinito, teu ânimo, teus carinhos serão meus, meus carinhos serão teus, te enlouqueço e te proíbo de não me enlouquecer o juízo.
Não tem tempo, eu quero é agora, eu vou é agora e vai ser agora. Não tenho mais nenhum tempo a perder, eu quero é voar para os teus braços, Te fazer feliz, te ver sorrir, não vamos adiar a felicidade esta noite, vamos deixar nossos pés voarem do chão sentindo as batidas do coração tocar a música dos nossos sentimentos invadindo a janela da varanda das casas e contagiando a todos que presenciam nossa celebração de surrealidade.
A alegria vai nos dominar amor, e aceitaremos esse amor em nossos corações e nos libertaremos de tudo aquilo que nos prende ao passado. Agora são outros momentos, outras sensações. Nossos sorrisos são compatíveis meu amor, e todas as nossas palavras são de esperança e igualdade, não mudará nada entre nós, sempre assim, na alegria, na tristeza, na saúde, na doença, até quando a morte não irá nos separar.

Milena M.


 

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Desapego






Dizem que pra tudo na vida tem seu tempo à hora exata de acontecer, e é verdade. Hoje eu sinto que deixei de te amar, pelo menos um pouco menos, quase nada é o que resta daquele sentimento que eu construí com tanta esperança de dar certo, aquele sentimento que eu jurei que ia carregar dentro de mim pro resto da vida, promessas que me fiz. Hoje eu quebro tais promessas e me ponho em uma nova emoção que possa vingar, coisa que não aconteceu com  você.
Espero sim, de coração, que a felicidade seja uma constante em sua vida, que nada de bom lhe falte. Mas o amor, na verdade ele nunca existiu como achava que existia, e se hoje eu abandonei essa paixão, não é por que não tive mais condição de carregá-la na bagagem, é por que vi que não tinha mais nenhuma serventia no futuro, não me ajudaria em nada sustentar esse peso sozinho.
Eu me transformo em vento agora, estou leve e livre de você, fui sim, feliz à distância, no olhar de quem está apaixonado se carrega um brilho inigualável, a felicidade de poder ver não tem comparação. Mas tudo isso são flash’s, são fotografias que nossos lhos tiram quando estamos em estado de pura fantasia, sonhando em estar perto.
Mas senti meu coração bater acelerado por outro coração, que se diz apaixonado pela vida, que sonha, que grita “eu amo você” mesmo sem conhecer, mesmo sem saber. É mas eu não quero ir com tanta empolgação, quero matar a sede aos poucos, muito me interessa ser de alguém assim, e agora que o mesmo me encontrou, e eu o deixei que me encontrasse, eu quero apenas viver, sem cobrar do amanhã, sem culpar o ontem, sem duvidar do futuro.
 Aprendi que nada é por acaso, e tudo aquilo que agente acha que é uma tormenta eterna, uma cruz pra carregar, na verdade é apenas mais uma etapa, mais um game over no jogo da vida, e o que agente tem que trazer dentro da gente é paciência e fé, que um dia, eu disse um dia, você entra nos trilhos e segue viagem rumo à terra dos sonhos realizados.
Milena M.

 

domingo, 13 de outubro de 2013

Quem é você?






Existem vidas sem opção por aí. Gente que não tem lugar fixo, mas mantém os pés no chão. Existem vidas cheias de escolhas por aí. Gente que tem tudo que precisa, mas se sente só em meio a multidão.
Existem altos e baixos, tropeços e recomeço horas boas, horas malditas, olhares de amor, olhares de inveja. Tudo que torna os designo da vida mais fáceis de lhe dar com eles, é saber preparar seu terreno, ou seja, o seu coração, semear boas sementes, fazendo brotar a cada dia do seu interior, da raiz às folhas, sustento do teu espírito que são sentimentos de bondade e união, para que as boas energias girem em torno de você, trazendo paz e uma vida próspera onde todos se reúnam para dividir momentos de felicidade e descontração.
Mas nem sempre a vida acontece dessa forma. Viver requer cuidado e cautela naquilo que sai da tua boca, os caminhos estão aí, eles não trocam de lugar, nós é que não sabemos guiar nossos pés, e muitas vezes a culpa não é nossa, pois além dos caminhos, existe o destino, talvez seja ele quem decida por nós.
O fato é que quando nos encontramos em meio a um “tufão” da vida, não enxergamos nada, não sabemos para onde vamos, para quem apelar, isso se existir alguém disposto a oferecer ajuda. A maioria das pessoas adota a crueldade como arma de destruição das famílias, esquecem que amanhã podem precisar de ajuda e não ter ninguém para lhes estender a mão num momento de dificuldade.
Vejamos que não tem dinheiro no mundo que possa pagar o fato de estarmos vivos, respirando, enxergando tudo a nossa volta, andando e tendo ossos fortes para correr, (existem exceções). Paramos então pra ver que não é caluniando, invejando os bens do próximo que seremos “grandes” lá no futuro, até por que o futuro é incerto, e se é que ele existe, não é certeza de que ele será teu.
A vingança não existe, mas o seu humano a criou com a intenção de resolver seus problemas de uma vez, não percebendo que só os aumenta de maneira espantosa e avassaladora, descendo um degrau a menos da salvação. A bondade existe, a maldade também, cabe a cada um escolher e seguir em frente, possa ser que no meio da estrada você se canse de ser o moçinho e se transforme no vilão, e vice-versa.
O mundo foi feito para gerar bons e ruins, e é obrigação sua procurar saber em qual desses você se enxerga.

Milena M.
 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Modo de amar






Ai ai,  se quão chegasse o dia em que você me beijasse
E então me entregasse o seu coração
Ai ai, se tudo isso fosse verdade
Eu só queria ter a metade
Do amor que você nunca entregou
Nas notas daquela canção.
Ai ai, se eu soubesse
Ser tua como você merece
Até andei fazendo uma prece
Pra isso se concretizar.
Isto que é amor
Isto que não causa dor
Isto é o que sou
Isto é o que te dou.
Só me deixe andar ao teu lado pela noite afora
Eu te digo que a felicidade é agora.
Mesmo com o que me disse outrora.
O amor não tem definições
Cada um ama ao seu modo de amar
O amor tem preposições
É feito de poesia e pureza
Sim por que, amar é uma arte
Arte de poucos
Arte de tolos
Arte de bobos
E quem haverá de dizer que não viemos neste mundo para amar?
Só os apaixonados sabem do que eu digo
Ah, se você soubesse
Dos poemas que te dediquei
Das palavras que por ti comparei
Das canções que pra você separei
Daquilo de mais puro e belo que te reservei
Talvez você saiba, um dia
Do quanto que eu queria
A tua agradabilíssima companhia
E, talvez você saiba, um dia
Que me amava esse tempo todo e não sabia.
 
Milena M.
 

sábado, 28 de setembro de 2013

Tua volta


 
 
 
É começo da manhã, chove lá fora uma garoa fina, molhando aos poucos a vidraça da minha janela e embaçando o espelho da sala. Eu ascendi à lareira, queimei algumas cartas antigas, escrita por mim mesma e que não chegaram a ser enviadas. Eu tento me aquecer como posso, mas o frio ta invadindo, e não existiria cobertor mais aconchegante do que o teu abraço agora. Eu sinto fome, mas não tenho disposição de ir até a cozinha comer algo, me vejo cada vez mais pálida e sem vontade de sorrir, como se eu não estivesse aqui, como se andar não fosse mais possível, e todo barulho que ouço só penso que é você voltando daquela viagem repentina no meio da noite.
E o teu casaco ainda está pendurado na cadeira da escrivaninha, onde costumava escrever teus livros de romance. Está tudo do jeito que você deixou, não mexi em nada, teus discos de música clássica arrumados na estante, está tudo esperando por você ainda. Foi eterno o que agente viveu. As corridas na praia sujando os pés de areia, os banhos que agente dava no Pipo, nosso primeiro cãozinho dócil e brincalhão, agente se divertiu muito naquele piquenique no domingo a tarde, foi o primeiro domingo do ano, era verão e as formigas levarão nossa comida quase toda, isso por que achávamos bonito a forma como elas trabalhavam sempre juntas e de maneira organizada, e tudo se transformou em motivo de risada. Tuas fotografias de formatura, teus carrinhos em miniatura, tudo teu, tudo meu, tudo nosso, sempre será nosso meu amor, minha vida, minha luz.
E onde você estiver, volta logo. A saudade ta aqui dizendo que não quer me deixar, mas acredito na tua vinda, a qualquer hora, em qualquer estação, na sua motocicleta de faróis baixos, com sua voz ativa e de timbre sereno, e no teu abraço eu vou me jogar, e na tua calma eu vou descansar, como a lua no mar.

Milena M.

 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Açúcar ou adoçante?








Vem, vamos além
Que hoje eu estou sonhando mais que ontem
Que hoje eu estou brindando com champagne francês
E me deliciando em vinhos do porto envelhecidos a cerca de cem anos
O que você prefere? Açúcar ou adoçante?
Diga-me onde tem mel
E irei buscá-lo
Diga-me onde tem flores
E irei colhê-las para enfeitar a escrivaninha do teu quarto
Não me digas que não está bem hoje
Não, eu não aceito desculpas tolas como respostas
Acalme-se, eu não vou me jogar do oitavo andar
Mesmo por que se eu fosse fazer tamanha loucura, seria com um par de asas nas costas. Mas não sou
anjo, não sou arcanjo
Tão pouco inocente
Sou um ser reluzente
Que a alma sente
Que decifra pensamentos distantes
Que resgata desejos adormecidos
Que escolhe caminhos longos e estreitos
A fim de apreciar com mais leveza e paciência as coisas pela estrada.
Sou gente que ouve tua respiração mesmo estando em transe de imaginações férteis
Que te inventa do meu jeito, que te esquenta pulsando no peito.
Ah, hoje eu estou uma fábrica de pensamentos bons
E olha que eu já pensei em tudo viu
Já providenciei a toalhinha de xadrez vermelho
As frutas secas, queijos e uvas.
No caminho agente decide depois pra onde agente vai
Só quero que me dê as tuas mãos
Te deixa solto agora
É só olhar no meu olhar e está tudo sob controle.
Vou fazer algo diferente mais tarde
Até comprei sabonetes mais cheirosos, com aromas de mel e calêndula
E eu que me achei tantas vezes um tanto medrosa e cética
Até que estou me saindo bem nas palavras  
Não se preocupe
Eu não vou pedir pra você pensar em mim
Nem espero isso de sua pessoa
Por que sei, que se os teus pensamentos forem meus
Eles serão em todas as ocasiões
E de todas as sensações
Esta de ver você chegando
É a melhor.

Milena M.
 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Noiva







Há muito tempo que não ouço mais músicas românticas, elas me enjoam. Quem me dirá com firmeza na voz, com certeza nas palavras que o amor ainda está por aí sentado no banco de alguma praça, esperando por mim ou me ajudando a fazer as compras do mês no supermercado? Ah, eu não acredito nisso, confundi a minha mente esse tempo todo, me dando por merecedora do amor, inventando olhares que nunca foram pra mim. As sobras estão por toda parte, rabiscos no caderno, músicas, vídeos e fotos que não tenho mais coragem de olhar. E daqui do alto da minha casa, eu avisto em meio à neblina embaçada da minha manhã solitária, a igreja que desejei entrar vestida de branco numa noite de lua nova, e você à minha espera no altar, de terno preto com flor branca no bolso do paletó, enquanto eu dava lentos passos com o coração saindo pela boca de vontade de dizer o sim logo de uma vez, e depois da chuva de arroz poder jogar meu buquê de orquídeas amarelas pro ar, entrarmos no carro todo enfeitado com fitas brancas e o nosso nome no vidro traseiro, latinhas amarradas fazendo barulho e anunciando a nossa felicidade... Nossa, me peguei sorrindo e chorando ao mesmo tempo agora, será alegria da imaginação, ou tristeza por saber que isso está tão longe da minha realidade?
E me apareceu agora no quintal, uns casais de passarinhos amarelos, cantando pra mim, chamando minha atenção, eles estavam tão unidos, tão juntinhos, numa liberdade que não tinha mais tamanho. Fiquei admirando e pensei em nós dois um dia como eles, juntos e felizes, unidos pela força da natureza.
Já foram embora, e toda vez que eu olhar pra aquela planta, me lembrará deles. Assim é na minha vida, toda vez que eu olhar para aquela igreja, me lembrará do meu sonho, sem deixar de sonhar.

Milena M.

 

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Ainda não morri





 
Cai sob minha cama o meu corpo fadigado. Depois de um dia de vida, pois é só isso que me cabe agora, mais um dia de vida, por que até aqui ainda não me matei, nem me mataram. Eu já sorrir muito a uns dias atrás, andei cantando pelas ruas a noite, vendo a cidade se acender, mas nada que me levasse ao delírio que é ouvir a voz da pessoa que amo. Faz alguns meses que não ouço as notas doces daquela canção que me lembra tal voz, ponho as mãos no bolso da velha calça jeans e me faço de surda a fim de não ouvir o tom dessa voz em minha mente.
Sei disfarçar muito bem meus sentimentos, não me dou por vencido enquanto não vejo o fim de tudo, e talvez, o fim de tudo seja o melhor para ambas as partes. Esse fim pode ser bom ou ruim, tudo aquilo que começa bem, termina bem, do mesmo modo como começa mal, termina mal.
Eu não estou aqui para julgar os sentimentos de ninguém, uma vez que não posso julgar os meus. Só não me esqueço de palavras, só não me esqueço de gestos, só não me esqueço de momentos, eles forma meus e ninguém irá tirá-los de mim.
Papel e caneta são os meus melhores amigos, agente se entende tão bem, viajamos a lugares lindos, a momentos inesquecíveis. Nós nunca estamos sozinhos, eles vivem comigo e eu vivo por eles, e é com eles que me desabafo e lhes conto minhas emoções, minhas vontades e sensações, como agora que escrevo esse breve texto, antes de cair na cama de vez, tomara que eu durma, por que onde eu queria cair mesmo era em teus braços.
 
Milena M.
 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Sempre duvidam

 







Por que as pessoas não me levam a sério? Pergunto-me isso constantemente, hoje caminhando pelas ruas por volta das 18h00min da tarde, estava voltando da padaria, quando comecei a observar o cotidiano das pessoas, o vai e vêm dos carros, alguns já voltando pra casa depois de um árduo dia de trabalho. E eu, como sempre, estava sozinha e de braços cruzados, andando devagar pelo meio fio da calçada, mais uma vez eu fiz o mesmo percurso, no mesmo horário, na mesma rua, a única diferença é que a cada dia, encontro pessoas diferentes pelo caminho.
Está demorando tanto pra eu conseguir o que eu quero, talvez um dia eu saia dessa vida rotineira, onde nada é novidade, mas por enquanto está tão triste pra mim, ver o tempo passar e não ter como tomar nenhuma providência.
Calo-me diante de todas as minhas especulações, algumas são inválidas a depender do momento, pois sei que não vai resolver nada engalfinhar-me, puxar meus cabelos, roer as unhas de ansiedade e nervoso, isso no mínimo me causaria um problema cardíaco.
Desde pequena que sonho com suas mãos nas minhas andando por aí, assumindo para todo mundo que agente ta junto e que agora somos um casal apaixonado, entrar no carro e viajar ao som daquela banda da Califórnia que agente tanto curte, e depois de amar, vestir sua camisa e me enrolar em teus braços.
Até que eu sonhei não é? Só não realizei nada, nem a parte das mãos dadas. E eu que achava que não iria desistir, que mesmo depois de uma decepção atrás da outra, continuaria acreditando que um dia talvez, eu fosse te encontrar numa banca de jornal, ou na sessão de livros da lojinha de conveniências. Acabou, está lá atrás, já não sou nenhuma adolescente faz anos, a vida já me calejou, o destino já me deserdou, eu vivo apenas por que ainda não chegou o dia da morte.
E mais uma vez as luzes se acenderam, e mais uma vez eu perdi o sono, tudo isso por quê? Por que as pessoas nunca me levaram a sério.

 

Milena M.
 

sábado, 7 de setembro de 2013

Jamais esquecerei

 





Confesso que dentro de mim sempre teve uma pontinha de carinho, um fragmento de cobiça. Algo que eu tentava saber o que seria e não me emportava em descobrir, como não havia nada pra dizer, preferir ficar calada, era o melhor a ser feito uma vez que eu não tinha assunto proveniente para dissertar, mas eis que derrepente, um momento surgiu e então despertou uma sensação de interesse da parte de quem menos se esperava, sentindo atenção e respeito e querendo ver de perto o que nunca viu antes, apenas fotos e conversas por redes sociais, nada físico. Mas aí sim, depois que tudo passar, vai nascer uma forte amizade, ou mais que isso. Nada substitui a presença, o contato, o cheiro, a pele, o calor, a sensação de poder estar ao lado de quem agente se sente bem, e isso eu tenho certeza que sentiria ao teu lado. Se longe eu sorri tanto, imagine ouvindo o tom da tua voz, tua gargalhada alta e descontraída, tuas palhaçadas, tuas brincadeiras de menino doce e feliz. O que vem conquistando um pedaçinho de mim, são essas características mais simples, a dedicação, tudo de mais singelo, tudo de mais puro e agradável, o querer se emportar, saber se tá bem, dedicar seu tempo conhecendo as qualidades, os defeitos e as vontades.
Uma risada boa de se ouvir, o jeito como caminha, a forma como mexe no cabelo, a maneira como me olha no olhos, a forma como me faz uma pergunta, a forma como me responde uma pergunta, o jeito de piscar os olhos enquanto sorrir ou conversa, a mania de ficar em pé de braços cruzados ou com as mãos no bolso. Tudo isso são gestos e ações que me fazem mais digna de te conhecer a cada dia mais, e decifrar tuas vontades, teus mimos de homem aliado aos sentimentos bons.
Teu coração é oceano em época de maré baixa, é calmo e pacífico. És feliz pelo o que és, e defines-te de acordo com seu modo de ver a vida, um modo que vai além dos pensamentos das pessoas que te veêm e te julgam de algo que talvez você não seja. Quero-te tanto meu querido, és especial pra mim agora e desde os tempos em que começou a me cortejar, coisas que porventura eu nem imaginei que fosse acontecer, mas você me revelou algo bonito nas palavras, e me envolveu em laços de sentimentos. O que eu tô sentindo por você é tão intenso, tão puro, que se você soubesse,
não pensaria duas vezes antes de me dar uma chance.
Eu te quero muito, eu me imagino com você todos os dias, eu sonho em te ver, e parece que esse sonho está cada vez mais perto de ser vivido. Eu tenho tanto medo de você, por algum motivo desistir de mim, me deixar de lado e encontrar alguém pra te dar a atenção que eu sonho em te dar. Juro que não é minha intenção te deixar me esperando, eu não quero fazer isso, mas a minha vida não está me dando condições de fazer as coisas do jeito que eu estou querendo. Não me esqueçe, que eu não te esqueço meu amor, você tem sido um presente pra mim, um ponto de luz que me deixou bastante feliz esses dias, e quando eu vejo o teu sorriso eu me vejo flutuando no tempo, imaginando como seria se eu o visse de perto.
Pela primeira vez na vida, começo a sentir força de vontade de lutar por alguém. Alguém que não me deixa desistir tão fácil de lhe conquistar, alguém que me fez sentir sensações jamais sentidas, alguém que me deu a mão e me guiou por onde eu andava, alguém que me abraçou e me deu seu calor, alguém que me leu os olhos e me definiu mulher, alguém que me deu motivos para acreditar que ainda posso sonhar, alguém que me mostrou um atalho pra sair da solidão.
Como eu queria me encaixar nos teus braços, caber no teu abraço, te ter nem que saiba por alguns instantes, ver teu semblante feliz em estar ao meu lado. Sendo assim, te prometeria carinho eterno,
te cubriria de afetos, te dava atenção na medida certa e cuidaria de você pra sempre, eu te quero mais que tudo nessa vida. Jamais pensei que fosse dizer isso, que fosse sentir isso por você, ver tuas fotos todos os dias me faz tão bem, já salvei tuas fotos no meu PC já decorei tua data de nascimento, já te chamo pela metade do nome, já não durmo sem antes pensar em você, já não acordo mais sem lembrar do teu sorriso.
E agora, o que é que eu faço? É tanto amor que eu tenho pra te dar, tanto carinho, tanto beijinho, tanto sentimento bom guardado dentro de mim...
Eu preciso te dizer, eu preciso de você, aqui, do meu lado.


Milena M.
 

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Eu chego lá









Acho-me aqui então, o silêncio me faz companhia e parece gostar de mim. Daí eu percebi que a corda bamba da vida, pela qual temos que nos equilibrar diariamente, sempre arrebenta do lado mais fraco, que de nada adianta dizer que o ano que passou foi ruim, que só te trouxe coisas negativas, por que o próximo pode ser ainda mais aterrorizante.
Existem dias que me sinto tão presa, que perece que estou trancada dentro de um container a bordo de um navio em alto mar. Vai ver a vida nunca teve simpatia por mim, sim por que desde os tempos de criança, que sempre fui o patinho feio da família, os parentes, miseráveis parentes que infelizmente corre os seus sangues em minhas veias, achavam que eu era uma espécie de peteca em suas mãos, me jogavam de um lado, me deixavam do outro, sempre se aproveitando da minha ingenuidade, até quando aprontavam e quem sempre levava a bronca da minha avó era eu.
Mas hoje não, tracei meus objetivos sem contar nada a ninguém, e sei que todos esses seres imprestáveis que me humilharam há anos atrás, estão de julgamento marcado a espera de suas sentenças finais, para que possam assim, quão finalmente, pagarem por todas as vezes que abriram suas bocas sujas para me denegrirem.
Só quero aquilo que esteja marcado para ser meu, e não abro mão de lutar por isso. Se pensarem que estou me enganando e que não está ao meu alcance, deixo que pensem, não será esse achismo alheio que me fará recuar e calar-me diante de minhas decisões. Eu não tenho muito dinheiro, nem muito luxo, mas meu sorriso tem luz própria e sempre que o sinto em meu rosto, eu me orgulho de tudo que eu me tornei, mesmo que não tenha me tornado em nada de extraordinário, como por exemplo, um artista de Hollywood, com direito a estrela na calçada da fama, se bem que eu não sei se quem tem esse tipo de homenagem é feliz de alguma forma.
Deixa lá, a carruagem vai passando e é devagar, mas é sem pressa de chegar que agente chega.

 
Milena M.
 

sábado, 24 de agosto de 2013

Tudo teu








Dê-me as tuas duas mãos, me ajude a caminhar, meus pés precisam da tua companhia. Quero ser tua vontade, teu pensamento mais distante quando descansastes no travesseiro e fechastes os olhos pra pensar na vida, quero que me deixes enxergar-te além do que tu és ler tua alma, adivinhar teus sonhos, eu não sabia que poderia amar tanto um ser, mas você me ensinou isso, e eu, eu sou grata por tudo que eu tenho, por tudo que eu sou.
Se eu sou feliz e amada, isso é obra tua. Foi teu sorriso que me fez reviver e acreditar que posso estar sempre a bailar de paixão, e danço e canto, solto meus pés num palco onde eu me apresento, e a platéia são anjos que nos uniram. Em suas asas eu pego carona todos os dias, e ao encontrar teus olhos eu mergulho em um oceano profundo e cheio de mistérios, e me encontro, e te encontro, e te invento, te reinvento, construo cada parte de você dentro de mim e me faço completa, e me quero bem aí na tua paz, na sensação de poder te amar mais e mais, sendo assim não vejo nada mais perfeito do que me entregar a esse desejo de te consumir em mim, sentir tua respiração quente em meu rosto, te provocar delírios incontroláveis e depois te colocar pra dormir em meu colo, acarinhar teus cabelos e ser teu escudo na hora da dor, ser tua fiel e amada, companheira na vida, na eternidade, na longevidade desse sentimento, não terá fronteiras.
Há muito tempo eu sonho com isso, e hoje eu posso dizer que encontrei a resposta de todas aquelas perguntas que eu me fazia antes de dormir, quando chorando eu implorava aos céus pra ter você aqui comigo, até que você surgiu do nada e me convidou pra ir ao céu com você, pra me apresentar as estrelas e me dar à lua de presente, então eu te dei a minha mão e agente dançou no infinito e foi crescendo, crescendo, até que explodiu em nossos corações essa vontade de amor, esse bem querer, essa cumplicidade.
Agora meu mundo é teu, teu mundo é meu. E o céu está cor de rosa agora, e as aves se alegram ao nos ver, e novos ninhos são construídos, e novos ares iremos respirar, e tudo será novo, de novo.


Milena M.

 

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Tristeza









E eu que já pisei em tantas pedras, mas não permiti que os meus pés se cansassem. E eu que preferia estar na companhia das borboletas, do que dividindo o metro quadrado da sala com visitas desagradáveis. Tanto que eu vi, todos os dias eu tinha aquele sol se pondo e levando com ele minha juventude. Tanto que eu ouvi, diziam de tudo, dedos apontados, e eu quase nunca tinha respostas pra calar a boca daqueles miseráveis.
O que se passa em frente aos meus olhos, não é o que eu quero ver, não era o que eu sonhei acontecer. E aquelas pequenas notas que escrevi naquele bloco de poucas folhas sem linhas visíveis, as apaguei, não fazia mais nenhum sentido guardá-las, já que estavam tão distantes do passado.
A cinza daquele sonho cremado lançou-as no vento, para que por longe daqui se desfaça entre as poeiras das estradas que encontrar.
Como seria bom se lágrimas pudessem me purificar agora, dor não é bom, mas são inevitáveis, outras incuráveis, e olhos vermelhos e peito soluçando são evidências disso.
Confesso que não sei pra que lado olhar, saídas existem, mas pareço cega, e enquanto muitos sorriem, outros choram e agonizam-se em suas solidões tentando resgatar algo que não existe mais. E quanto à noite que vem se debruçando sob o meu telhado, ela é companheira da minha insônia, mãe da minha ansiedade, e melhor amiga dessa solidão infinita, e sem ter no que pensar os ponteiros do despertador vão contando minha vida, passando a noite, e surge o sol, embaçado os olhos de quem já não agüentam mais chorar.

Milena M.

 

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Monótono


 
 
 

 
 
 

Parei e olhei para o céu cheio de nuvens, e imaginariamente, tentei me colocar nele como se fosse uma ave que acabara de sobrevoar aqui. Bom seria se pudéssemos de repente ganhar um par de asas e sair voando por aí sem rumo certo, galgando novos lugares, descobrindo novos jardins, construindo outros ninhos. Escolher caminhos é uma tarefa que requer tempo pra decidir, só que o tempo é apressado, o tempo é cheio de compromissos, e não vai parar por nossas indecisões, então ele passa na nossa frente e decide por nós, bacana isso não é mesmo?
Ah, hoje eu acordei com os nervos a flor da pele, sensível e desabrigada, meu semblante mais tenso e olhos embaçados de lágrimas. É nada acontece como queremos, e quando acontece não é com que agente gosta, as peças que a vida me prega eu já perdi as contas, só quando começo a escrever é que me deixo levar pela canção de premente que costumo ouvir, como forma de inspiração.
Me disperso no pensamento, lembro de fatos recentes e logo me vem umas lembranças antigas, aquelas que nem me lembrava mais que existia. Essas monotonias dos dias me fazem muito mal, tem dias que dá pra conciliar, já outros não têm jeito, eu desabo, e depois volto juntando meus cacos pelo chão, não é nada agradável montar-se por dentro, meu sorriso se esvai, dando espaço ao pranto, e de tanto que penso no que será da minha vida daqui alguns anos, eu choro na tentativa de anestesiar a dor que corrói meu peito, eu não tenho pra onde ir, meu destino é incerto, meus planos evaporam como gelo em fogo, então só me resta escrever pra não se esquecer de mim, pra não me lembrar de você, pra não morrer enfim, eu preciso viver.

Milena M.

 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Irreal








Olha não me leve a mal se eu sumir em meio ao nevoeiro e levar seu coração comigo, precisarei dele quando estiver morrendo de saudades suas. Como minha imaginação não tem limites, eu penso em coisas e situações que me fazem rir de mim mesmo e formular perguntas que nem eu ou somente eu possa responder.
É impressionante como eu me apego a essas fantasias de contos e poesias. Teoricamente sim, elas são válidas, mas imaginem só, alguém desaparecendo em meio a um nevoeiro levando o coração de alguém, premeditando sua própria morte e dizendo que aquele órgão que carrega em uma de suas mãos irá salvar sua vida, ainda mais quando estiver morrendo de saudades...
Realmente, como havia dito anteriormente, a imaginação ela voa, é nossa única certeza de que as coisas existem dentro de nós, mesmo não tendo o direito de torná-las concretas, saudade não faz mais efeitos, os dias vão se acabando, descendo a ladeira na velocidade da luz, o prazo cada vez mais curto, a validade da minha vida se esgota com o passar das horas, meus sonhos no escanteio, o medo escondido atrás da porta do meu quarto, só levando escorregos por aí, meus pés doem muito, já andei tanto, e não encontrei nenhum banco vazio pra sentar e descansar.
Cada dia menos acredito nesse tal de amor, quem ele pensa que é pra me trazer tanto sofrer? No que ele acha que vai me tornar me maltratando dessa forma? Não tem ele força maior que eu.
Ora bolas! O sentimento é meu, sou eu que tenho que mandar nele, é eu que tenho que controlá-lo. É difícil pra mim lhe dar com essa troca de amor, minha mente cansa, meu coração cansa, ele é um músculo, não é uma máquina controlada por robótica.
É muita reação adversa, é muito efeito colateral, preciso fazer novos exames, talvez mudar o remédio. Qual foi o último que estava tomando mesmo? Será que foi um comprimido de solidão pela manhã, ou aqueles 10 ml de saudades à noite? Ah, lembrei, foi uma dose única de amor.

Milena M.

 

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Apenas palavras







Escrever, escrever e escrever. Seria o alimento da alma cansada que expõe suas dores e amores através do bico da caneta de cor azul ou preta? Seria o servir das palavras sobre a mesa acompanhada de uma xícara de café quente numa noite chuvosa? Seria o deitar dos pensamentos sobre seu travesseiro conselheiro?
Não queiram saber os motivos, nem mesmo eu os sei. Brota sabe? Vem de dentro, vêm com força, enxurrada de palavras, tempestades de pensamentos, um turbilhão de sensações boas e ruins, e quanto mais te folhas em branco, mais quer riscá-las, mais quer ultrapassar os limites e qualquer espaço que seja, cabe mais uma letrinha, cabe mais uma frase.
Cada parágrafo é sagrado pra quem escreve. Cada parágrafo é apenas um parágrafo pra quem ler. Como nem tudo se pode dizer, então escrevemos, deixamos nossa herança, nosso bem maior são essas palavras, juntas de uma por uma, cada uma um sentido, e seja debaixo de lágrimas ou empurradas por um sorriso, é a única coisa que nos faz saber que ainda estamos vivos, que as mãos não estão mortas, que os sentidos ainda se reconhecem e nos reconhecemos como merecedores de nossas perdas e conquistas.
Nascemos, sobrevivemos, chegamos a morrer, mas as palavras continuam intactas. Só não as deixe morrer dentro de si, não as deixem presas como escravas de seu medo de pronunciá-las. Não as neguem não as lance ao vento menosprezando sua força, são suas, use-as como libertação, use-as como um elixir esvaziando toda a impureza da tua vida.
Há quem diga: "sábias palavras!", apenas para agradar quem as disse, pergunte o significado, pergunte a função, pergunte a intenção. E agora? Onde foram parar tuas palavras?
Ai de mim, ai de ti, volta para o teu interior, recolham-se à sua falta de afeição pelas palavras, elas não precisam ser ditas por bocas enferrujadas.

Milena M.

 

sábado, 27 de julho de 2013

Decepção








Por um momento, achei que as coisas iriam mudar por aqui, mas vejo que foi uma mera confusão da minha mente conturbada por tantos pensamentos angustiantes. Vendo mudar a vida de muitas pessoas que antigamente costumava zombar com brincadeiras idiotas, não que eu tivesse a intenção de causar frustrações, talvez eu achasse que estivesse dizendo na inocência, mas o destino copiou minhas palavras e as usou contra mim, me deixando encurralada nesse desgosto de vida.
É aí que me ajoelho diante da minha dor que carrego há anos, sentimentos presos dentro de mim, fazem do meu viver um tormento que parece não ter fim. Eu tenho tanta esperança de que um dia um novo atalho de caminho surgir pra me libertar desse cárcere de desenganos. O que enxergo ao me olhar no espelho é um rosto que aos poucos está sendo tomado por linhas de expressão que formam crateras em minha face, e de tanto chorar, vejo as erosões que as lágrimas fizeram nesse rosto desbotado e sem vida.
Confesso que já enterrei sentimentos antigos que não vão me trazer de volta aqueles sonhos que sonhei. Mas parecem imortais, ressuscitam e vem me alucinar em pesadelos durante a noite fria. E tudo que eu quero é pelo menos alguns minutos de paz, onde eu possa me encontrar comigo e acertar os ponteiros do relógio que parece regredir meu tempo, e ao mesmo tempo, me leva pra um futuro distante de mim, lugares onde meus pés não conseguem pisar, rostos onde minhas mãos não podem tocar pessoas que estou proibida de amar.
Mas eu desafio e amo, mas amo de uma forma que nunca amei alguém, e mesmo sabendo que é um sentimento em vão, eu teimo em dizer que um dia irei conquistá-lo e terei os seus olhos ao meu alcance, serei eternamente prisioneira desse amor, que é minha alegria, que é minha dor, que é minha destruição, que é minha vontade de viver e acreditar que serei desse amor.


Milena M.

 

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Confie






Espera mais um pouco, não diga que acabou. Você precisa se sentir livre dessa dúvida, não deixe a chance escapar das suas mãos como grãos de areia ao vento.
Lembra dos teus segredos antigos, confessados na frente do espelho, seja agora ou depois, um dia tudo vai ser consumado, a verdade sempre prevalecerá, e a cada dia que se passa, mais perto estará de tudo o que veio sonhando esse tempo inteiro em que esteve em cárcere de suas próprias ilusões.
É mentira que você não será aquilo que tanto pretende ser, isso tudo são opiniões tolas e sem fundamentos de quem não tem confiança nem em si mesmos. É fato que às vezes você se perde entre as palavras, sua cabeça parece que vai explodir de tantos pensamentos vagos no meio da noite. Mas tente organizar as coisas, e por mais que isso te cobre paciência, pare, sente em algum lugar, pode ser até no chão mesmo, de nada importa se o que precisa de ajuda é o teu interior.
Una as coisas, assimile-as de forma positiva, tudo que você tem que fazer é se concentrar em si mesmo. Que tal focar na sua saúde? Descubra novos hábitos de vida que te façam esquecer que o tempo ta passando e ainda não conseguiu o que quer você não precisa ser tão rude consigo a ponto de se abandonar no meio do caminho, ou quase perto da recompensa.
Meça suas palavras, não é necessário dizer-las pra as pessoas que não vão te ajudar em alguma coisa.
E a noite passa sabia? Nada será tão longo quanto a espera e mesmo se o sono fugir é por que as emoções os espantaram pra longe, mesmo que seja por algumas horas. E vai fechando os olhos viram de um lado para o outro, que uma hora ele chega e te levará ao encontro dos sonhos, ou dos pesadelos, depende do seu estado de espírito.
Enfim, o significado do dizer "um dia", faz todo sentido quando nós acreditamos nele, a partir daí que tudo começa a valer a pena, de verdade.


Milena M.
 

domingo, 23 de junho de 2013

O guarda-costas









Se você não quer acreditar em palavras ditas em momentos em que você se sente frágil e precisa de ajuda e companheirismo, faça suas próprias palavras, só não as lancem em horas vãs que não se apropriam ao que te parece ser certas. Suas queixas mais sem justificativas, coisas que gostaria de ter vivido, coisas que gostaria de ter dito, foi tudo uma questão de escolha, foi tudo uma questão de achar que o que estava fazendo era o certo pra você próprio.
Queremos e não temos e quando achamos que vamos encontrar eis que lançamo-nos numa neblina procurando por algo que lhe complete de alguma forma, ou que talvez tome boa parte do vazio que está sentido agora.
Mas é claro que ter alguém do nosso lado para nos proteger nos dar uma sensação de segurança e nos faz acreditar que um dia nada daquilo vai acabar. Eu diria um guarda-costas em que você possa confiar que estará lá sempre a te vigiar e até saber pra onde os teus olhos irão olhar alguém que não queira ir embora, que não se importem em esperar você pegar no sono primeiro do que ele. Parece um filme, mas a cada passo infalso que você der um ser que te ama estará pronto pra te ensinar novamente o ritmo da música, e te apoiar nos ombros, e te fazer sonhar e imaginar de que não estão ali em meio a aquelas outras pessoas, e que não tem ninguém olhando e querendo estar no teu lugar, enquanto bebe mais um gole de vinho sentado à mesa sozinho e sem a companhia de alguém que a chame para dançar.
Um dia todos nós vamos dar adeus a alguma coisa que tanto queremos bem, de uma forma ou de outra, quem fica será sempre a lágrima final, e ninguém mais entenderá a sua dor a não ser você mesmo, ou alguém que já tenha vivido momentos semelhantes. A mão estendida num até logo, que não haverá próxima vez, e tudo que você precisa é acreditar que um dia irá reencontrar, e tudo que você sente é vontade de chorar, desejo sufocado de gritar pra sempre, para que todos ouçam a sua dor, já que não poderão sentir-la.
E tudo que você sentiu lá atrás foi sentimentos que a provocaram até calafrios de tanto que amou, de tanto que implorou para que não acabasse, e de tanto que chorou de medo de perder que acabou perdendo, sem explicações, apenas chegou o dia e foi embora, sem nem ter a chance de dizer adeus. Às vezes não é preciso dizer adeus para que possamos sentir que perdemos algo. E povoando teus pensamentos ficam as lembranças, as doces e as amargas, será sim, tudo o que levará consigo.
Então as horas cinzentas irão chegar o vento que balança a cortina cheias de pó, olhar pra porta e não ver sua chegada, mas saber que isso são conseqüências da vida, já te conforta de alguma forma, você não sabia que passaria por isso, nem poderia escolher ir primeiro.
Mas pense o quanto valeu à pena ter compartilhado a tua vida, e ser aceito do jeito que sempre foi, e tudo o que foi percebido dentro do teu coração, e você que sempre se julgou forte e destemido, que sempre ignorava as palavras de quem estava ali pra te tirar do fundo do poço, hoje corre contra o tempo pra resgatar o que havia perdido por méritos próprios.
Agora você sabe que, depois de tudo, esse alguém nunca irá se atrever ir pra longe de você, e sabe por quê? Por que este te ama e sabe da sua importância, e sabe do quanto você precisa da sua proteção, parecia perdido, mas não estava, você derrubou os muros e abriu as portas da tua alma e se deu em tudo o que queria, e agora tens tudo, por que conhecestes o amor.

Milena M.


 

sábado, 8 de junho de 2013

Pois bem





 
  

Sofrer ou ser feliz? Muitas pessoas nascem com um "trono" reservado, tem uma infância alegre, cresce numa família unida e bem estruturada, onde todo mundo se ama, todos se divertem juntos e colecionam álbuns de fotografias, contando suas emoções, viagens, confraternizações de fim de ano, entre outros tantos momentos de lazer e harmonia.
Possuem liberdade para ser o que quiserem, para irem onde quiserem, sem ninguém para lhes confiscarem. Convivem num ambiente cercado de conforto, onde nem sempre o dinheiro fala mais alto do que o amor que os unem.
Entretanto, outros sofrem tanto. Passam a vida inteira sonhando em ter um viver melhor, acreditando que amanhã vai encontrar uma saída, não tem liberdade de ir e vir, às vezes parece ser invisível, ninguém enxerga ninguém dá uma chance, é renegado, humilhado, encarcerados em suas desilusões, cada dia um tropeço diferente, e um pior que o outro, e quando parece que as coisas vão melhorar, vem algo mais forte do que você e te derruba.
Você deve estar se perguntando o porquê dessa comparação. Talvez eu seja um desses que relatei ao longo do texto, só não faço mais questão de me lembrar se fui ou não, especial para alguém lá no passado, se me amaram, se me deram carinho e atenção que, porventura eu precisasse.
Eu me determinei e me construi com o passar dos anos. E ao longo dos dias, me auto configuro com freqüência e procuro me conhecer e me apresentar como uma nova pessoa cada vez mais forte, na medida em que passo por mais uma decepção.
Chega uma hora em que você percebe que não vale mais à pena ser simpático com a maioria das pessoas que não é preciso desperdiçar o seu bom dia com gente de má índole. O melhor a fazer é ignorar comentários absurdos, afastar-se dessas pestes perniciosas, deixe que se recolham em suas insignificâncias, um dia os mesmos morrerão envenenados com suas iras, engasgando-se em seus ódios que os levaram ao suicídio dos seus dias.

 
Milena M.
 
 
 

domingo, 2 de junho de 2013

O fim de tudo







Acreditar sempre no amor verdadeiro não significa que ele virá a ser teu um dia. Nascemos e desde então queremos o melhor pra gente, só que existem inúmeros caminhos que nos levam a lugares diferentes e distantes, onde encontramos pessoas que nos fazem pensar que é a certa para entrar em nossa vida e mudar completamente nossa rotina, nossa cabeça de modo que a felicidade seja plena na convivência. É certo como não pensamos nas conseqüências, no depois, no depois de tudo acabar, e se esse alguém for embora de nossas vidas, ainda mais quando deixa feridas abertas causadas não por querer fazer o mal, mas por determinação do tempo, da vida, do destino em si.
Não somos nada capazes de entender o porquê desses desencontros e tristezas, choramos por coisas que só quem sente só quem passa pela mesma dor é capaz de entender e compreender.
Não se pode enxergar o amor, não se pode conversar com ele e propor um acordo pra que tudo fique bem no final pra ambas as partes. O amor pode ser muitas vezes, o começo de tudo ou fim de tudo, depende da sua sorte, da sua fé.
Jamais mate o amor de alguém, é morte sem salvação. Não existe julgamento, o medo é o pecado que causa essa morte, é por isso que estou morrendo lentamente a cada vez que me lembro de você distante de mim, que posso nunca mais te ver, que pode nunca mais voltar e, bem longe daqui, encontrar seu verdadeiro amor.

Milena M.

 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Uma vez depressiva





 
 

Existem momentos na vida de um ser humano em que tudo parece perdido, tudo se transforma em dor e sofrimento. É tudo tão real, tão forte, que você começa a delirar, tomar atitudes inesperadas, o pensamento torna-se negativo e você não diz palavras de conforto nem pra si próprio. A mente vira um saco de pancadas, são dores de cabeça, insônia e uma breve perda de memória.
Explicações científicas entre outras maneiras de se discutir sobre o assunto estão em processo de descoberta a todo instante. Pessoas assim tendem a ficar depressivas, a ponto de cometer uma loucura maior que sua coragem, é tanto desespero que tem horas que dá vontade de sumir pra sempre, desaparecer sem deixar vestígios, mudar de estado ou até mesmo de país. Seus sonhos acabam, na maioria das vezes, se tornando tão minúsculos diante de tanta agonia.
Na tentativa de sair desse ócio, seus sentidos pedem uma música bastante triste e depressiva, um soar de piano, uma voz melancólica, é como se fosse uma espécie de analgésico. A reação brusca por sobrevivência é estar longe dali constantemente, os dias se arrastam, mas os anos voam nada parece dar certo, é como se vivesse dentro de uma máquina do tempo onde o único momento é o presente, e não sai dali, e não passa dali.
E calam-se as bocas, e fecham-se os olhos, e descansam os corpos e almas, e mais um dia vem, e mais um dia vai, e mais uma chance de viver também.

 
Milena M.


 

sábado, 27 de abril de 2013

Apressa-te sem pressa









Quando não é pra ser, não adianta apressar os passos ou diminuir o ritmo da caminhada. Talvez você faça uma oração e aposte na sua fé, sabe-se lá no que ou quem, a maioria das pessoas não realizam seus sonhos por descuidar-se de si mesmos, tentando passar a limpo o que aconteceu a tanto tempo atrás. Alguns podem até discordar, mas tudo é uma questão de merecimento perante o que você é ou faz, a maneira como são lançadas as palavras que saem da sua boca, essas tem um poder imenso, embora muitos não acreditem ou levem a sério.
Mas é óbvio que todos têm o direito de acreditar no que lhe convém, no que entende ser certo, ou errado. E quantas vezes você já gritou com seus pais por motivos tão minúsculos, se dando por dono da razão o tempo todo. Dedique-se a compreender-los, ninguém mais do que eles querem tanto a sua realização e a sua felicidade (a não ser aqueles que matam seus filhos quando ainda são fetos, ou os abandonam na primeira calçada ou córrego que encontrar). Pois é, há quem nem chegou a se conhecer, mas se você teve esse privilégio, descubra o tesouro que seus pais escondem por trás de um sermão ou outro que te dizem, podem até não demonstrar, mas sentem medo de qualquer dor ou sofrimento os afligirem, tentando de algum jeito suportar essa angústia junto com você.
Mas seja rápido, não deixe pra perceber depois que já estiver indo embora, de vez.

 
Milena M.

 

Seja pacífico









Então, estamos aqui, agora o que diria pra sua imagem na frente do espelho? Pintaria seus lábios de vermelho? Desenharia uma gota no teu rosto e em meio a bolhas de sabão fingiria ser um palhaçinho engraçado, contratado pra alegrar criançinhas doentes no leito da morte?
Não finja, não minta, a menos que seja na intenção de se defender, sem querer causar o mal ao próximo, caso contrário, o único prejudicado será você. Em algum momento a angústia bate à porta sabia? A tristeza, ela sonda e amarga o viver de qualquer que abre suas portas pra a mesma, ainda que abra apenas a janela, ninguém está livre de ser enganado, mas podem escolher não enganar quem os rodeia.
Tem coisas que tentamos redesenhar, passar uma caneta de outra cor por cima, mas o que está escrito está escrito, se ali surgiu, por mais inacreditável que possa parecer, é dali pra mais longe ou mais perto, tão perto que talvez não resista e acabe caindo em contradição. Suas reações e respostas podem não ser mais tão inesperados assim, seus argumentos pouco plausíveis, e de tanto querer que tudo se resolva com o tempo, você acaba se acomodando e se deixando ser atropelado pelo comodismo.

 

Milena M.


 

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Amor postiço





 


 
Não espere mais nada do amor, se acha que ele já te mostrou suas qualidades e seus defeitos. E se pensando bem, foram mais defeitos do que qualidades, ele não procurou te conhecer, saber dos teus sonhos, não será você que irá ficar mendigando atenção, compaixão ou coisa parecida.
Se quiser venha, achegue-se e abanque-se e assim, tenham uma conversa franca, se quiser ame, se deixe ser amado, caso contrário, que siga, passe direto sem olhar para os lados, se acaso você resolver se perder por aí, a decisão é sua, se for pra dar errado, que seja! Não existe previsão, não tem como prever.
Meu caro se fomos parar pra tentar dividir o passado em partes, colocar palavras em respostas que não foram ditas, ficaríamos loucos!
Não é semelhante a uma redação de vestibular que você ler e reler antes de entregar ao avaliador, é escrituras com direito a caneta e papel apenas, não há borrachas, escreveu (aconteceu) já era, já foi.
Também não dá pra viver calculando o que vai ou não dizer, é tudo uma questão de momento, ocasião, pessoa, reação, olhar, pressão psicológica talvez...
Não se agonize pelo o que não aconteceu, possa ser que mais adiante, lá no final do último vagão tenha somente uma cadeira sobrando, e você, cansado de correr por aí colecionando ilusões, sente-se bem ao lado do seu tão esperado... Amor.


Milena M.



 

domingo, 14 de abril de 2013

Caminhos estreitos








O destino errou o destino. Agiu por impulso e nos lançou em meio a esse furacão destruindo nossas expectativas, atraindo nossos pés a caminhos longos e estreitos, ninguém saberá por onde passamos antes de passar por aqui. Uma caixa vazia, papéis em branco, canetas sem tinta, e uma borracha pra apagar o que ainda nem foi escrito, nem se quer tenta pelo menos, se você não sabe aonde quer chegar, a certeza é sua e somente você toma conhecimento disso, e antes que se esqueça do que te fez acreditar que daqui alguns anos boa parte dos teus sonhos da época de criança serão realizados, ainda que tenha desistido dos menos importantes, aqueles que foram abandonados lá atrás por perceber que era só uma fantasia boba de infância.
Quando crescemos e tomamos conhecimento do que é real, do que pode ser vivido de verdade, é que nos fazemos de fracos para deixar que os possíveis "vencedores" se sintam os melhores, ao invés disso, estamos montando nosso barco, e quando menos esperarem estará remando firme em direção aos nossos propósitos.
Não existem "vencedores", existem idealizadores de suas conquistas. Aquele que pensa em si, mas sem desfazer da capacidade do próximo, é dotado de muito caráter, visando assim, bons fluidos para sua vida.

Milena M.


 

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Memórias de um amor consumado







Olhe, veja o que sobrou de mim. Não, não lamente por isso, não suportarei mais essa dor, se uma lágrima sua cair, seria como um sopro final. Só me assista pelo vidro, não segure minha mão, não quero que as sinta frias, quero que se lembre de mim como aquela garota que se perfumava e saia de casa ansiosa pra te ver, meu corpo quente no seu, e se enrolava em teus braços, aquela que cantava suas músicas prediletas, que fazia palhaçadas sem sentido só pra te fazer dar a risada mais gostosa de ouvir, que te abraçou forte e te disse palavras de conforto quando você perdeu seus pais naquele acidente de carro há 11 anos. A garota que torceu pra você passar no vestibular, e te disse pra não desistir caso perdesse na prova. Mas você não perdeu, passou até em primeiro lugar, e teu sorriso naquele dia foi minha recompensa, e o beijo que me deu quando chegou a casa dando a notícia, foram um dos melhores que já tinha me dado.
Lembra amor, daquele dia em que você segurou-me pelos braços e me ensinou a patinar na pista de gelo? Eu levei um tombo e trouxe você comigo até o chão e ali rolamos a dar risada. Ah, teve aquela noite de chuva forte que eu fiquei com medo dos trovões altos e você abriu a porta do quarto devagarzinho no escuro só pra me assustar, e eu que nem uma boba achando que fosse assombração enquanto você se divertia com minha cara de medrosa.
Sabe aquele dia que escondi a chave do carro? Foi medo de você sair de casa e acontecer algo de ruim na estrada, afinal, fazia muita neblina e as notícias na TV não eram nada boas, sabia que você era teimoso e não levava muito a sério essas coisas. Eu sempre tive medo de te perder, de por algum incidente você partir pra outro mundo, e agora veja que ironia, é você que me perde, nós nos perdemos meu amor. Não está sendo fácil pra mim te ver e saber que essa é a tua última aparição perante os meus olhos, quero que saiba que mesmo em outro lugar, todas as noites ao deitar-se, eu sempre estarei sentada na cabeceira da sua cama vigiando teu sono e protegendo os teus sonhos, afastando os pesadelos.
É cada vez menos visível a tua imagem agora, meus olhos estão turvos sei lá, nunca senti isso antes... Mas não se preocupe, não fique nervoso, tem alguém aqui do meu lado, está todo vestido de branco, deve ser algum médico novato, você não está vendo?
Amor vai ficar tudo bem! Conheço sua força, até mais do que você próprio, eu que o diga hein? Lembrei daquela viagem que fizemos para a fazenda dos seus parentes e tinha um tronco de uma árvore enorme caído na estrada e você foi lá, sozinho, e removeu pra poder passar com o carro enquanto eu lixava cuidadosamente as minhas unhas que haviam sido quebradas apenas por que eu quis dar uma de espertinha e tentei consertar o lustre da sala sem a sua ajuda e me desequilibrei da cadeira bem na hora em que você ia chegando do trabalho cansado e deu tempo de você me aparar com firmeza evitando um machucado. Nem tinha feito o almoço ainda e você disse que tava tudo bem, que ia pedir uma pizza, então fizemos uma limonada, seu refresco favorito, e você terminou o conserto enquanto eu dava as ordens.
E quando foi mais a noite, te achei meio abatido, te dei um banho morno e te levei direto pra cama, logo pegou no sono e eu fiquei ali por horas, te olhando, der repente comecei a me lembrar do nosso primeiro encontro, éramos tão tímidos não era mesmo? O pessoal da faculdade percebeu que agente se gostava e resolveram aprontar uma trama com agente, colocando, propositalmente, aqueles livros de matemática na minha mochila, só pra quando você os procurar achá-los comigo e agente discutir no meio do pessoal, enquanto eles gritavam:
- "Beija! Beija!" (risos)
E foi assim, nosso primeiro beijo meio revoltado, mas cheio de paixão, e ai de nós se não fossem esses benditos livros de matemática, por que, acho que não teríamos coragem de chegar um no outro e mandar a real. É nossa vida foi uma espécie de "equação exponencial", tudo muito exato, como se a vida calculasse milimetricamente tudo que acontecera entre nós. Costumavam nos chamar de "casal de idosos", agente se cuidava tanto um do outro que parecíamos dois velhinhos no fim da vida, vendo o resto do tempo passar na varanda de casa. Mas era bonito, mais bonito ainda foi ter ganhado de presente de aniversário de uma semana de namoro, um filhote de coelho branco, você já sabia do que eu gostava em tão poucos dias.
Nossas saídas ao cinema, nossa era impressionante como você sempre cochilava e quase nunca via o final do filme, e me perguntava depois como acabou e eu nem me lembrava direito, quase não prestava atenção, com você ali do meu lado, não tinha como me distrair com muita coisa. Bom mesmo era o refrigerante e a pipoca, que eu aproveitava as sobras pra jogar no pessoal que sentava logo à frente, tava tudo escuro mesmo, ninguém sabia quem era.
As idas a praia, ah, éramos doidos, escolhíamos o dia mais nublado para irmos tomar banho de mar, a praia tava vazia e sem ninguém pra ver nossas maluquices, pois tínhamos a mania de ficar pelados, subíamos nas pedras a deixar que as ondas batessem e nos molhassem pouco a pouco. Sem contar nos castelos que tentávamos construir, que mais parecia uma pirâmide do Egito, pois não tínhamos o menor jeito pra fazer aquelas torres enorme. E depois de "pronto", destruíamos rolando por cima daquele amontoado de areia molhada, e jurávamos ali, perante aquele oceano tão imenso, que nosso amor consumado até o fim dos tempos.
É tanto que hoje estou aqui, te pedindo pra não pegar na minha mão fria, pois só quero que carregue consigo a sensação das minhas mãos quentes, deslizando em cada parte do teu corpo enquanto fazíamos amor loucamente, e que cada recordação que aflorei agora, sirva de consolo quando enfim, verás os meus olhos, que tanto te admiravam, se fecharem para sempre, num sono eterno, onde ninguém poderá acordar.
Mas lembre-se do que havia te dito antes, eu sempre estarei com você, e, como sempre, é só chamar, que eu venho.

 

Milena M.

 

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Seja forte

  
 

 
 
 
Tempestades de areia virão em tua direção, sem sombra de dúvidas. Teus olhos poderão ficar cegos por alguns instantes, mas então, virão as tuas lágrimas, como uma enxurrada, lavando as areias que te cegaram. A dor vem como uma flecha pontiaguda nos machuca nos despedaça, mas, no entanto, nos mostra o quanto precisamos de nós mesmos. Nada é tão durável como queremos ou acreditamos que seja, o hoje é uma exposição de telas expressando o amanhã em suas imagens. Mas até a chegada da meia noite, o amanhã ainda não existe, um dia deixará de existir, e tenha plena convicção de que nada foi obra do acaso, todas as cenas que atravessaram teus olhos serviram de amostra do que causaria todas as tuas incertezas ou até mesmo aquela coragem mais inesperada que teve no começo do dia.
E der repente você sobe a ladeira que nem ver à hora, e descobre que esse tempo todo tinha forças, só não sabia usá-las.

 
Milena M.
 
  

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Dias cinzentos








Na medida em que os dias se arrastavam, se tornava mais insuportável conviver ali, a companhia não ajudava em nada, ambos eram literalmente diferentes, cheio de sonhos, gostava de ouvir música alta, mas também apreciava um bom silêncio, sempre com um sorriso no rosto como prova de que tudo ficaria bem assim que encontrasse o grande amor da sua vida.
Não havia espaço nem pra chorar em paz, e a cada semana é como se fosse um mês a menos em seu calendário, não tinha refúgio, não tinha pra onde fugir, era ali ou ali mesmo, desejos limitados, sentia a sensação de um tiro nas costas toda vez que via as pessoas saindo pra se distrair, enquanto ela, presa sabe-se lá por quanto tempo, e sabe-se lá quanto tempo ainda lhe restava para que não enlouquecesse de uma vez por todas.
Tudo engavetado, tudo amontoado dentro do pensamento, tudo copiado, registrado em qualquer pedacinho de papel, pra não permitir que a memória esqueça cada prova contra o ódio que sentia naquele momento, por que sabia que um dia seria apresentado ao tempo, o júri popular desse processo que é a vida de alguém que almeja um amanhã melhor, e todas as suas lágrimas que salgavam a sua boca, lhe serviam de mantimentos para sustentar-lhe até o fim de todo aquele sofrimento.

 

Milena M.